Image
Curiosidades
Cerveja, sustentabilidade e responsabilidade social em 6 goles

Dos campos de cevada às famílias que dependem financeiramente da indústria cervejeira, muitos são os pontos em que a cerveja, a sustentabilidade e a responsabilidade social se tocam. Damos-te a conhecer seis dessas interseções.

 

Há muito que as alterações climáticas ultrapassaram as fronteiras da ficção científica e levaram o tema da sustentabilidade para as negociações globais, debates nacionais e até para as conversas que tens, no dia a dia, na tua rua ou comunidade. Sendo um tema transversal à sociedade, merece uma preocupação especial por parte dos setores que trabalham diretamente com produtores agrícolas, como é o caso das cervejeiras. Redução do plástico, das emissões de carbono e da energia consumida são algumas das medidas essenciais para que nunca te falte cerveja.


No entanto, a sustentabilidade não se esgota nas prioridades ambientais, chegando até à responsabilidade social das cervejeiras. Por outras palavras, ao modo como estas lidam e trabalham com os diferentes públicos com quais têm relações de interdependência: os consumidores, os colaboradores, as comunidades ou os fornecedores. Aquilo a que chamamos, mais recentemente, stakeholders.

 

Conhece alguns dos factos que têm unido cerveja, sustentabilidade e responsabilidade social ao longo dos séculos e descobre porque razão esta indústria contribui regularmente para um Planeta melhor.

1. A inovação

Image

A cerveja que hoje conheces nasceu da inovação e desenvolveu-se com a experimentação dos mestres cervejeiros ao longo dos séculos. A indústria cervejeira, herdeira da bebida, nunca deu o seu trabalho como concluído e hoje podes encontrar um setor de atividade disposto a melhorar o produto ao mesmo tempo que procura minimizar o seu impacto no Planeta.


As embalagens de vidro e alumínio são 100% recicláveis e as fábricas estão cada vez mais eficientes, reduzindo o consumo de energia e água. Um exemplo: entre 2010 e 2018, o Super Bock Group diminuiu o consumo de água em cerca de 25%, uma trajetória que continuará, pelo menos, até 2025.

2. O consumo e comunicação responsáveis

Image

O consumo moderado e responsável de bebidas alcoólicas por adultos é uma das principais preocupações dos produtores de cerveja. Apesar de a cerveja ser uma bebida com baixo teor alcoólico, se compararmos com outras bebidas fermentadas ou destiladas, as marcas têm tido a preocupação de, ao longo dos anos, alertar para os efeitos do consumo excessivo de álcool.


Em todo o mundo, as marcas de cerveja apelam e sensibilizam para o consumo responsável em diversas plataformas – televisão, rádio, comunicação digital, publicidade exterior ou no ponto de venda. Em Portugal, a Super Bock foi a primeira marca de bebidas alcoólicas a utilizar a frase “Beba com Responsabilidade” na sua comunicação, a partir de 2004.

3. A reciclagem

Image

Vidro e alumínio, os materiais que armazenam a cerveja, são 100% recicláveis. Sempre que acabas de beber uma cerveja, deverás colocar a garrafa de vidro no ecoponto verde e a lata de alumínio no ecoponto amarelo. Também o cartão que acondiciona o pack de cervejas que adquires no supermercado é 100% reciclável – este deves colocar no ecoponto azul.


Por outro lado, muitas das garrafas e latas onde bebes a tua cerveja já são parcial ou totalmente produzidas a partir de materiais reciclados, um ciclo virtuoso que defende o ambiente e gera riqueza através da criação de postos de trabalho.


Em Portugal, em 2020, a recolha seletiva de embalagens aumentou 13% em relação ao ano de 2019, o que permitiu encaminhar para a reciclagem cerca de 409 mil toneladas destes resíduos. Para teres ideia deste número, fica a saber que, no espaço de um ano, são reciclados pacotes de bebidas cujo peso é equivalente ao de 35 navios.

4. A criação de emprego

Image

A cerveja é a terceira bebida mais consumida do mundo e dela dependem muitas famílias. Segundo o Statista, portal especializado em dados de mercado, a indústria cervejeira valerá 515 mil milhões de euros em 2021, número que representa milhões de postos de trabalho em todo o mundo.


Além de criar riqueza nas comunidades, através da criação de emprego direto, a cerveja impacta todo o tecido económico local e nacional, seja através da venda em bares, restaurantes e hotéis, em supermercados, da compra de matérias primas aos pequenos produtores e do investimento na cadeia de distribuição.


Se pensarmos que cada uma das pessoas cujo trabalho depende do consumo de cerveja integra um agregado familiar constituído por duas ou mais pessoas, percebemos a real dimensão de uma indústria essencial para o desenvolvimento das comunidades e dinamização da economia global.

5. A inclusão social

Image

Em 1992, a Unicer, hoje Super Bock Group, comercializou a primeira cerveja sem álcool em Portugal, a Cheers, e milhares de novos consumidores juntaram-se ao fenómeno cervejeiro.


Hoje, a cerveja sem álcool é presença habitual nos lineares dos supermercados, nos restaurantes e bares de Portugal e as marcas têm inovado noutras direções. O lançamento da Super Bock sem Glúten, em 2020, responde ao desafio de chegar a cada vez mais pessoas que, de outra forma, não poderiam beber cerveja – neste caso, os celíacos.

6. Nada se desperdiça

Image

“Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. A frase célebre de Antoine-Laurent de Lavoisier, químico francês cujos estudos iniciais sobre a fermentação até contribuíram para o desenvolvimento da cerveja, aplica-se na perfeição  a este setor.


Desde o Período Neolítico que os resíduos criados pela produção de cerveja são usados para diversos fins. Um deles, provavelmente o mais antigo, é o da alimentação de animais. Há mais de 100 anos, por outro lado, que as borras resultantes da levedura são utilizadas para fazer um intensificador de sabor muito popular no Norte da Europa e na Austrália.


Entre os novos produtos destacam-se também o pão, barras de granola, biscoitos para cão, comida para peixe e fertilizantes feitos a partir de grãos gastos, resíduos de cerveja e levedura.


A cidade de Boulder, nos Estados Unidos, foi mais longe e começou a utilizar o mosto para ajudar a reduzir o escoamento de nitrogénio de uma das suas estações de tratamento de águas residuais (ETAR). Finalmente, existem cervejeiras com projetos de criação de biomassa e energia através dos subprodutos criados para preparar as suas bebidas.

A CERVEJA QUE SALVOU VIDAS


Em 2020, o Super Bock Grupo e a Destilaria Levira estabeleceram uma parceria inédita para a produção de álcool gel desinfetante para as mãos, numa altura inicial da pandemia da Covid-19 em que este bem essencial era escasso. O desinfetante foi recolhido a partir de 56.000 litros de álcool da produção da cerveja sem álcool que, por sua vez, foram transformados em 14.000 litros de álcool gel para as mãos, num processo de fabrico que seguiu as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O primeiro lote de álcool gel desinfetante para as mãos produzido pelo Super Bock Group e pela Destilaria Levira foi oferecido às unidades hospitalares da região do Porto.

RECOMENDADOS

Informação Legal

Esta declaração de garantia de privacidade de dados aplica-se específica e exclusivamente ao serviço do Super Bock Group.

Para o Super Bock Group é importante que todos os utilizadores dos seus serviços e visitantes das suas páginas tenham garantida a confidencialidade dos seus dados.

O Super Bock Group garante que estas informações NÃO SERÃO utilizadas em nenhuma lista com fins promocionais via correio eletrónico ou telefónico, nem serão divulgadas a qualquer outra organização ou empresa. O Super Bock Group compromete-se a proteger a sua privacidade.

Sobre qualquer questão que tenha relativa a este compromisso, não hesite em contactar.

close

Image

BEM-VINDO À SUPER BOCK CASA DA CERVEJA

Declaras que tens mais de 18 anos?

SIM

NÃO

Para entrares no site, tens de ter mais de 18 anos.

Ao submeter estes dados, está a concordar com a Política de Privacidade e Política de Cookies do site Super Bock Casa da Cerveja.