Tipos de Cerveja
Chope ao ritmo do samba

A primeira cerveja brasileira data do século XIX, mas bastou pouco mais de um século para tornar o país no terceiro maior produtor de cerveja do mundo. Hoje, tomar um chopinho bem gelado é uma das atividades favoritas dos brasileiros. Sabe porquê neste texto.


A cerveja é a bebida alcoólica mais popular no Brasil. Normalmente consumida muito gelada, ela adapta-se bem ao clima tropical do país. A tal ponto de beber uma cerveja refrescante ser uma tradição que une gerações, estando intimamente ligada aos bons momentos passados entre amigos e familiares, seja na praia, nos botequins ou em casa.


Por isso, não é de estranhar que a cerveja esteja também associada a celebrações e festas como o Carnaval: durante os seis dias de folia, que no Brasil ocorrem durante o verão, consomem-se quatro por cento do total anual desta bebida no país.


Apesar de ser um player relativamente recente no mercado global, o Brasil é já o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, apenas ultrapassado pelos Estados Unidos e pela China. São estes os números da paixão brasileira pela cerveja. Ao todo, o país produz 13,4 mil milhões de litros de cerveja por ano, consumindo, dados de 2019, 12,4 milhões de litros, de acordo com o portal Statista.

Dos holandeses aos ingleses

Ao contrário do que seria de esperar, não foram os portugueses a introduzir a cerveja no Brasil. Essa honra coube aos holandeses, em 1634, aquando do estabelecimento de relações comerciais com a então colónia portuguesa. No entanto, este foi um sol de pouca dura, quer nos laços comerciais, quer na presença da cerveja em terras de Vera Cruz.


A bebida só voltaria ao território brasileiro um século e meio depois, pela mão dos mercadores ingleses e das suas ale. As boas relações entre Portugal e a Inglaterra foram decisivas nesse comércio, embora os impostos de importação fossem muitos altos. Os imigrantes alemães também ajudaram a popularizar a cerveja no país, quando introduziram as lager.


A cervejeira Bohemian, fundada em 1853 e que ainda hoje existe, foi a primeira a produzir no mercado brasileiro. Os desafios, porém, eram muitos: o clima tropical afetava não só a produção e o armazenamento da bebida, como impossibilitava a produção de cevada e lúpulo. Como estes ingredientes são fundamentais no fabrico de cerveja, tinham de ser importados da Áustria e da Alemanha, o que encareceu o produto.

O crescimento do mercado

No final do século XIX, a invenção da refrigeração melhorou a qualidade da cerveja brasileira, ao mesmo tempo que baixou os preços. A isto juntou-se o facto de a importação de cervejas ser limitada, fazendo crescer a produção interna.


Este cocktail de inovação levou à fundação das duas das maiores cervejeiras do país: a Companhia Cervejaria Brahma, no Rio de Janeiro, e a Companhia Antarctica Paulista, em São Paulo. Mais tarde, no início do século XX, várias microcervejeiras surgiram no mercado, resultado, em parte, do nascimento da sociedade burguesa e da vinda de vários imigrantes do Velho Continente.

 

Aos poucos, a inovação tornou-se inseparável da cerveja brasileira. O alto preço do lúpulo no país encorajou os mestres cervejeiros a complementarem-no com outros ingredientes. Não é de estranhar, por isso,  que a cerveja brasileira possa ter entre os seus ingredientes o café, as nozes, a mandioca, a goiaba, a taperebá e o açaí.


Além disso, as barricas para o envelhecimento são feitas de madeiras tropicais, o que contribui para outros sabores e aromas. Há quem diga que é o país das cervejas radicais - os mais afoitos até usaram leveduras selvagens no seu fabrico, levando à produção de estilos semelhantes às saison e às wild ale.

Um crescimento contínuo

Image

A cerveja artesanal surgiu já na década de 1990, influenciada pelo boom global. Os cervejeiros brasileiros começaram por apostar tudo nos tipos de cerveja alemã, refletindo a herança dos primeiros tempos, mas não se ficaram por aí.


Hoje existem mais de 300 cervejeiras no país, com a curiosidade de os cervejeiros mais pequenos alugarem as infra-estruturas e equipamentos para que qualquer pessoa possa fazer as suas próprias cervejas. Esta partilha de conhecimento ajuda a estimular a criatividade e abre boas perspetivas para o futuro da bebida no Brasil. 

Em 1999, dá-se um dos marcos da história da cerveja brasileira: a fusão entre a Brahma e a Antarctica dá origem à AmBev, Companhia de Bebidas das Américas. Em 2004, a AmBev funde-se com a gigante belga Interbrew e forma a InBev, a maior produtora de cerveja mundial.


Finalmente, em 2008, acontece o terceiro e último capítulo da consolidação do setor cervejeiro mundial, com a aquisição, por parte da InBev, da gigante norte-americana Anheuser-Busch, dando lugar à AB InBev – uma das cinco maiores empresas globais de produtos de consumo. Para um país que começou tarde na aventura cervejeira, não está nada mal.

Informação Legal

Esta declaração de garantia de privacidade de dados aplica-se específica e exclusivamente ao serviço do Super Bock Group.

Para o Super Bock Group é importante que todos os utilizadores dos seus serviços e visitantes das suas páginas tenham garantida a confidencialidade dos seus dados.

O Super Bock Group garante que estas informações NÃO SERÃO utilizadas em nenhuma lista com fins promocionais via correio eletrónico ou telefónico, nem serão divulgadas a qualquer outra organização ou empresa. O Super Bock Group compromete-se a proteger a sua privacidade.

Sobre qualquer questão que tenha relativa a este compromisso, não hesite em contactar.

close

Image

BEM-VINDO À SUPER BOCK CASA DA CERVEJA

Declaras que tens mais de 18 anos?

SIM

NÃO

Para entrares no site, tens de ter mais de 18 anos.

Ao submeter estes dados, está a concordar com a Política de Privacidade e Política de Cookies do site Super Bock Casa da Cerveja.